Português
English
Home  >  Notícias
30 de Abril de 2011
Estufa Fria de Lisboa

A Estufa Fria de Lisboa reabriu ao público no dia 29 de Abril. Foi assim, devolvido à cidade um espaço verde único, onde várias gerações passearam, brincaram e aprenderam. As portas estão de novo abertas para o reencontro com um espaço que nos oferece três ambientes diferentes - a Estufa Fria; a Estufa Quente e a Estufa Doce -, convidando-nos a verdadeiras viagens por terras longínquas, de onde cada uma das espécies de plantas é originária...

Perante o risco detectado de colapso da estrutura, a Câmara Municipal de Lisboa decidiu intervir, mobilizando recursos significativos e uma equipa multidisciplinar de reconhecidos especialistas. Foram substituídos os pilares de sustentação da cobertura e restaurado o ripado de madeira, elemento decisivo para a criação das condições micro climáticas da Estufa Fria.

Paralelamente, foi reconhecida uma oportunidade para revitalizar este espaço, criando condições para uma relação renovada com o público, que se pretende mais próxima, acessível, diferenciada e mediada, dando origem a uma nova Missão para a Estufa Fria de Lisboa.

Está assim em curso a implementação de um conjunto de estratégias diversificadas:

Instalação de uma unidade operacional na Estufa Fria de Lisboa (atendimento mais consistente, marcação de visitas, disponibilização de recursos logísticos);

Construção de um centro de interpretação;

Concessão da nave para eventos;

Construção de percurso adaptado a mobilidade reduzida;

Renovação dos WC;

Identificação botânica das espécies e destaque de alguns exemplares;

Criação de um sitio de internet dedicado à Estufa Fria

Implementação de um projecto educativo: Espreita e Descobre a Estufa Fria de Lisboa;

Suportes informativos para diferentes públicos;

Publicação do livro relativo à flora da Estufa Quente: “Flora da Estufa Quente de Lisboa – pteridófitos e dicotiledóneas”.

Convidamos todos a revisitar a Estufa Fria de Lisboa e a acompanhar as transformações que farão deste equipamento um espaço de lazer, de interesse turístico e como recurso educativo privilegiado, na cidade de Lisboa, para a promoção do valor das plantas, com vista à adopção de comportamentos promotores da conservação da biodiversidade, numa estratégia de sustentabilidade.




Voltar